Património


Monumento Nacional

Igreja da Ermida

A Igreja da Ermida, classificada como Monumento Nacional, desde 1916 (Decreto nº 2303, DG 60 de 29 de Março), localiza-se nas encostas do Rio Paiva. Tendo sido construída no século XII/XIII, acredita-se que foi construída sobre uma ermida pré-existente, tendo sido ocupada por monges premonstratenses, ordem dos Hospitalários, entre outros. Também é conhecida por Templo das Siglas, devido aos numerosos símbolos gravados nas pedras que formam este monumento. Inicialmente pensava-se que estes símbolos seriam marcas de canteiro, de modo a contabilizar o trabalho realizado, mas devido à disparidade de símbolos presentes, e devido aos símbolos em si, acredita-se que estas siglas possam ter um simbolismo mais "mágico".



Imóvel Interesse Público

Pelourinho de Campo Benfeito

Classificado como Imóvel de Interesse
Público desde 11-10-1933.

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231,
de 11-10-1933

Pelourinho de Castro Daire

Classificado como Imóvel de Interesse
Público desde 11-10-1933.

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231,
de 11-10-1933

Pelourinho de Mões

Classificado como Imóvel de Interesse
Público desde 11-10-1933.

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231,
de 11-10-1933

Pelourinho de Rossão

Classificado como Imóvel de Interesse
Público desde 11-10-1933.

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231,
de 11-10-1933

Inscrição de Lamas de Moledo

Classificado como Imóvel de Interesse
Público desde 17-04-1953.

Decreto n.º 39 175, DG, I Série, n.º 77,
de 17-04-1953

Capela de São Sebastião

Classificado como Imóvel de Interesse
Público desde 5-12-1961.

Decreto n.º 44 075, DG, I Série, n.º 281,
de 5-12-1961

Ruínas da Muralha Portas do Montemuro

Classificado como Imóvel de Interesse
Público desde 21-12-1974.

Decreto n.º 735/74, DG, I Série, n.º 297,
de 21-12-1974

Igreja Matriz de Castro Daire

Classificado como Imóvel de Interesse
Público desde 30-11-1993.

Decreto n.º 45/93, DR, I Série-B, n.º 280,
de 30-11-1993

Igreja Matriz de Ester

Classificado como Imóvel de Interesse
Público desde 19-02-2002.

Decreto n.º 5/2002, DR, I Série-B. n.º 42,
de 19-02-2002


Sítio Interesse Público

Castro do Cabeço dos Mouros

Classificado como SIP - Sítio de Interesse Público através da Portaria n.º 903/2014, DR, 2.ª série, n.º 210, de 30-10-2014.

Tal como nas demais categorias patrimoniais, a região viseense apresenta-se particularmente rica em vestígios arqueológicos, nomeadamente da Idade do Ferro, de entre os quais sobressaem os relativos a povoados fortificados, mais vulgarmente conhecidos por "castros".

 Das estruturas erguidas ao longo do primeiro período ocupacional do arqueossítio, ocorrido durante a 1.ª Idade do Ferro estabelecida para esta região do país, iniciada por volta do século VII a. C., remanescem tão somente escassos troços de muralhado constituídos por material pétreo de pequenas dimensões, assim como vestígios de duas habitações de planta circular, localizadas, como habitualmente nestes povoados de altura, na área interna delimitada pelo pano de muralha que circundava o monte.


Imóvel de interesse Municipal

Capela das Carrancas

Classificado como Imóvel de Interesse Municipal em 26-02-1982

Foi construída em 1776, a mando de D. Manuel de Vasconcelos Pereira, Bispo de Lamego natural de Castro Daire, em conjunto com a Casa da Cerca que se ergue ao lado, servindo-lhe de capela privativa.

A capela destaca-se pela sua planta octogonal, principalmente se considerarmos o facto que este tipo de arquitectura é típica da zona de Braga e Coimbra durante o período da restauração e depois, mais tarde, associadas à figura da Rainha e regente D. Luísa de Gusmão.

 Aos seus pés desenvolve-se a Fonte das Carrancas, formando uma magnífica composição com a capela no plano superior. Uma abóbada de berço abriga o chafariz, tendo ali sido inscrito um brasão.

A classificação como Valor Concelhio foi convertida para Interesse Municipal nos termos do n.º 2 do art.º 112 da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001 Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982

Casa da cerca

Classificado como Imóvel de Interesse Municipal em 26-02-1982

Data da centúria de Setecentos a construção do palácio e capela das Carrancas, mandada construir por D. Manuel de Vasconcelos Pereira, Bispo de Lamego e que nela residiu. Hoje em dia apenas a fachada preserva a traça original do edifício, sendo que o interior foi completamente modificado, servindo hoje como museu e espaço Internet no R\c, além de nele também estar instalada uma agência bancária, à qual pertence o edifício. Por cima, no primeiro andar funciona o Auditório Municipal antigo.

Hoje em dia apenas a fachada preserva a traça original do edifício, sendo que o interior foi completamente modificado, servindo hoje como museu e espaço Internet no R\c, além de nele também estar instalada uma agência bancária, à qual pertence o edifício. Por cima, no primeiro andar funciona o Auditório Municipal antigo.

A classificação como Valor Concelhio foi convertida para Interesse Municipal nos termos do n.º 2 do art.º 112 da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001 Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982.

Mais informações brevemente
Mais informações brevemente
Mais informações brevemente